terça-feira, 27 de setembro de 2016

Grandes curriculares aprisionantes

Mudar a denominação de “grade curricular” para “estrutura curricular” pouco adianta se nossos professores e professoras continuarem com a, digamos, “mente educacional” atrasada mil séculos. Hoje o que se tem no Brasil são concepções educativas aprisionantes quaisquer que sejam as denominações. Reformas curriculares nascidas em gabinetes, como a promovida pelo MEC no Ensino Médio são inócuas se não forem parte da prática educacional desde o núcleo familiar. De que adiantam currículos flexíveis, com possibilidades de as pessoas escolherem seus caminhos, suas carreiras, se nos núcleos familiares, a escolha da carreira for “uma opção hereditária”? Em cenário deste tipo, propor currículos flexíveis é aumentar as chances de fracasso da proposta.


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

O que não aprender com os eleitores

É sintomático que os políticos sejam permanentemente acusados de corrupção, práticas pouco recomendáveis ou, no mínimo, má-fé. Será, porém, que só os políticos possuem tal prática? Evidentemente que não. Há eleitores que envergonham até os políticos mais desonestos. Votam em troca de favores pessoais ou míseros trocados. Depois, ficam sem moral para cobrar dos políticos práticas responsáveis. Portanto, não se deve aprender com eleitores o que se cobra dos políticos. Nós, os eleitores, para termos o direito de cobrar dos políticos, também devemos fazer a diferença. E fazer a diferença não é cobrar posturas éticas sem oferecê-las. Quem vende o voto não tem o direito de cobrar mais nada de ninguém. Que todos façamos o mea-culpa antes de atirarmos pedras nos políticos.


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

domingo, 25 de setembro de 2016

Marcas da cidade natal

Hoje é o dia que a minha cidade natal, Sena Madureira, no interior do Acre, comemora 112 anos. O que as lembranças de infância fazem em um Blog de Educação? São marcas, principalmente, de uma educadora que agarrou o ofício de ensinar como missão de vida. Clotilde Alves Vieira Monteiro, minha mãe, confunde-se com a história educacional de Sena Madureira. Gerações e mais gerações foram por ela educadas. Faço parte de uma delas, como faço parte da família. Os valores que tenho foram graças a ela. Se mantenho raízes em Sena após ter saído para ganhar o mundo, só o fiz por conta de o que aprendi com ela. Com as demais professoras. Com os professores. Com os amigos, com a família! Vale comemorar 112 anos da tua cidade quando a própria cidade te ensina a viver.


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.