domingo, 24 de junho de 2018

Demissões nas particulares


Universidades particulares aceleram o processo de demissão de professores doutores mais antigos. A desculpa é sempre a mesma: ajustes para adequações à realidade atual. No fundo, professores e professoras que vestiram verde-amarelo e pediram a queda de Dilma Rousseff (PT) foram ingênuos. Ou, quem sabe, queriam o quando que se desenha. Porque expandir a Pós-graduação e criar oportunidades de ascensão fazem parte ou não de uma política macro. O preço que muitos começaram a pagar ainda pode ser pior. O processo é de desmonte da universidade brasileira no todo. E a pesquisa já começa a sofrer. Estejamos mais atentos que nunca!

Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

sábado, 23 de junho de 2018

Separar famílias em Educação


Quando vejo a política de Donald Trump de separar crianças fico a pensar em o quanto somos obrigados a nos separar para estudar. E lembro da minha história. Em 1979, deixei Sena Madureira, no interior do Acre, para viver só. Seguir a vida. Longe da mãe, do pai, dos irmãos e da família. Levado pelos primos. Para estudar em Manaus. Qual o desafio? Não puder errar. Eu não podia errar. Será que consegui? Não sei. A única coisa que sei é que é que jamais me esquecerei do tanto que tive de fazer para vencer. Acho que venci. Mas, tenho certeza, somos obrigados a vencer sempre. Separar famílias aqui, no Brasil, em geral, é criar chances de vitórias. Claro, se você quiser. Não é fácil. Porém, recompensador. Enfrentemos!

Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Liberdade e autoridade em Educação


Em conversas com colegas professores e professoras recebo sempre um alerta: cuidado com “esta liberdade”! E quem fica a se perguntar sou eu: mas, se Educação é um ato de amor, só se deve demonstrar amor à distância. Proximidade, carinho e respeito, ao que penso, não pode, nem deve significar “perda de autoridade”. Talvez este deva ser o receio dos meus colegas, digamos, “mais tradicionais”. Claro, já passei por umas e outras por conta da tentativa de ser menos distante. No entanto, não abandonei a convicção de que é possível haver carinho e respeito na relação professor x estudante. Só no exercício desta relação é que podemos promover mudanças na Educação.

Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.